Marinheiro do Nó.

A palavra Destino poderia ser considerada sinônimo da palavra escolha.

"Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar" Paulinho da Viola

Aprendemos as melhores lições fora Faculdade, escola ou trabalho.

No meu caso, aprendi na “marra”, e acabei crescendo como pessoa. A escolha de uma viagem, a escolha de um abraço, de um beijo, de um sim, de um não. Ações Formadoras do destino. Planejar a dois é complicado. Sonhe, mas saiba que a probabilidade de ser pra sempre um sonho é muito alta.

E sendo assim, encontrei no Marinheiro o espelho do ser humano. Escrevi o que considero o meu melhor poema até hoje. Apegar-se a coisas pequenas e ser infeliz com o que pra muitos poderia ser o verdadeiro paraíso,  são  duas semelhanças que você pode encontrar. Ler atentamente cada linha é essencial. Releia quantas vezes preciso for. Vale a pena:

Segue. 

Marinheiro do Nó.

Olhando para atrás, não se vê mais o concreto
Ilhado em sonhos submersos, não compreende.
Seu gigante flutuante no momento pede um tempo
Repensar as idéias guiadas pelo vento

Sentir-se triste, à companhia do mar e das estrelas
Soa Estranho para quem jamais sentiu a solidão
O balanço do mar escondia as verdades no fundo
Sem querer procurar. Limitar-se a flutuar pelo mundo

Uma história em cada porto, sem continuação
Praticar o desapego se tornou desagradável rotina
Oco como o gigante , mudou de opinião
Por saber exatamente onde tudo começa e termina

Apegou-se ao nó, criado por suas mãos calejadas
Concentrando a força que buscou, sem ter sorte
Não estando só, o marinheiro da suas ultimas remadas
Com seu unico laço mantido até hoje, ruma ao norte.

Breno Massena.

” Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais”

Até breve!

Anúncios

•Caracterizando Sentimentos – Sentimentos em caracteres•

Boa tarde!

Então busque alternativas.

Pode parecer banal, infantil e sem motivo, a minha intenção de tentar caracterizar os sentimentos. E pode até ser mesmo, não discordo. Porém, enquanto não tentarmos entender o que eles representam, seja lá quantas vezes forem, continuaremos caindo em erros que poderiam ser evitados, caso esse “clichê” dos escritores fosse mais debatido e analisado. Não escrevo por escrever. Escrevo para entender.

Começaremos pela inveja … O que você acha ?

Se entretenha, reflita e diga o que achou… ou apenas sinta o que achou.

Segue:

•Caracterizando a Inveja•

“Inveja é o sentimento da ausência. Não se sentir completo, compensando suas qualidades com o vazio de seus pensamentos.  Substituindo o desejo de ter, pelo de necessitar a qualquer custo. Infeliz é aquele que vê na inveja uma forma de conquista. Conquiste o que a inveja nunca poderá lhe dar. A felicidade. Pois sendo feliz, a única inveja que existirá em você, é das nuvens, por conseguirem permanecer no céu para sempre.”

Breno Massena

Os próximos posts serão dedicados a mesma causa.

Gostou?  Não?   Comente ou mande um email para: breno@massenatrading.com.br – com as suas considerações sobre o post.

” Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais”

” Aí, quem vive no inferno reza pra quem?”

Até mais.

Talvez assim seja o certo.


INTERIORIZANDO – Parte 1

                                                       

 

“Me sinto mórbido.
Talvez assim seja.
Me sinto completo.
Talvez assim seja.

Tem dias que nem me sinto.
Talvez eu esteja enganado.
As palavras descrevem minha rota
Meu domínio é somente o papel.

Pudera eu me dominar.
Adestrar meus sentidos mórbidos
Me sentir mais vazio.

Para quem sabe poder
Me completar outra vez
e sentir tudo de novo.”
 
Breno Massena

–//–

 

Talvez sejamos aquilo que desejamos, cobertos de clichês e frases criadas por pessoas que ao se sentirem sozinhas, buscaram o apoio das palavras, como forma de um conforto parcial. A Falsa esperança. Necessitamos dela, assim como necessitamos de mentiras, verdades, xingamentos, falsos argumentos e palavras doces. O ser humano é  feito de contradições. Seus príncipios se contradizem. Viva a individualidade do geral e não ligue para o geral que gera as individualidades.

Se esvazie para se completar outra vez.

Talvez assim seja o certo.

Breno Massena

 

” Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais”

 

 

"Vamos nos jogar onde já caimos, tudo novo de novo" P. Moska

Destino e linhas sinceras.

Bom dia e boa leitura aos que me prestigiam sempre que podem. Essa é a maior recompensa para mim.

Hoje Vou ser direto.


O amanhã você vai tentar entender no texto a seguir:

“Destino, palavra forte. Palavra que todos tentam desvendar, mas o unico capaz de decifra-lo é o tempo. Sábio tempo. Tempo que não vemos, apenas sentimos sua presença com o passar do mesmo. E no final, nosso maior sonho, é não saber o nosso destino para poder voltar no tempo e viver tudo outra vez. As mesmas frustações, os mesmos desencontros … Provando que o melhor do destino é desconhece-lo. Portanto, dê uma chance a você mesmo e viva a sua vida, para que no destino possa olhar para atrás e ver um belo presente construído.”

Breno Massena

__–__

 

Me permitem escrever mais algumas coisas ?
Linhas sinceras a seguir:

Difundindo Poesia. Ser mais que letra em um papel. Pulsar ao término de cada palavra, cada linha. Como se em cada estrofe fosse possível  ouvir a batida do meu coração. As rimas seriam os atalhos para tentar chegar aonde sinceramente eu não faço a minima idéia, e que não tenho pretensão de chegar. Estou onde quero estar. Junto das palavras. Sendo em palavras. Existindo em poesias. Errando junto com elas. Ser até mais do que posso ser. Talvez nunca consiga. Mas no momento estou. Por fazer o que sei. Ou ao menos gosto. Difundindo Poesia.
Esse é o meu intuito.  Ser menos egoista ao escrever. Já que na maoiria dos momentos não demonstro fora das linhas. Falar o que escrevo faria muitas pessoas felizes a minha volta. Talvez não seja possível e só consiga escrevendo. Não sei. Um dia talvez descubra. Até lá continuamos nos comunicando por aqui.

Um muito obrigado a todos pela leitura.
Chame mais gente para o nosso Fantástico mundo e divulgue.

Breno Massena

” Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais”

 

A distância que tenta ensinar.

Bom dia, boa tarde, ou boa noite!

Fantásticos leitores deste mundo não tão fantástico quanto vocês, que me prestigiam lendo, divulgando, comentando aqui ou via twitter @brenomassena .  Se você faz todas essas coisas, ou somente uma delas, muito obrigado.

Como vocês sabem,  ou não, estou escrevendo a cada quinze dias no blog www.malutolentino.blogspot.com. Isto fez com que eu fosse “obrigado” a escrever com mais frequência.  Um dos vários pontos positivos deste acontecimento, é o post que escrevo a seguir.

Após escrever a coluna fiquei pensando a respeito do tema. Penso escrevendo, e algumas vezes depois de escrever, para que fique bem claro ao leitor que não pense que vendo idéias falsas.

Com as idéias entrando em rota de colisão, eu escrevi um post de umas 20 linhas. Porém  precisava algo mais subjetivo e simples. Bela idéia ! Tive de fazer um poesia. A seguir, texto (retirado da minha coluna) e poesia de minha autoria:

“Eu não sinto saudade, eu tenho saudade. Um sentimento tão diferente dos demais, que até hoje ainda não li qualquer definição precisa a respeito do que seria ao certo. Nem tenho a ousadia de fazê-la. Seria a saudade um sentimento bom, ou um sentimento que te amargura ? Não sei. Talvez, pelo motivo de ser um sentimento solitário, seja difícil refletir  com base em algo que não faz mais parte do seu cotidiano…

Como no tempo em que minha vó era viva, como nos dias que passei na escola, como todos os momentos que já passei com a minha namorada… Saudade é um sentimento amplo, ao mesmo tempo que é solitário. Por este motivo, deixa um vazio que mesmo se um dia preenchido, você achara outra razão para senti-la. Necessitamos tanto dela, quanto de quem ou o que inserimos na saudade…”


Saudade
Por Breno Massena

Tenho saudade do dia
em que saudade não tinha
De quando não escrevia
veja o tempo que faz...

Daquilo que não viverei
de outra coisa que sonhei
Saudade só por ter saudade
sendo ou não realidade

Não me importa o motivo
o porque ou o depois
A saudade é pra agora
Estando ou não a dois

Descobriremos tardiamente
E o que tentamos evitar
Nada mais é que saudade
A distância que tenta ensinar

Breno Massena

“Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais”

Muito Obrigado !

Rosas,Poesias e Cartolas.

Bom dia Leitores deste Fantástico Mundo.

É com muito carinho e com um tempo disponível, que volto a postar aqui.

Espero que apreciem, pensem e reflitam como de costume.

___

Penso que escrever é traduzir para a eternidade, o que a fala nunca conseguirá exprimir. Pois ao escrever, quem faz a ação não precisa estar presente no momento, para que se tenha a sensação de sabedoria e aprendizado por parte do expectador. O alcance das letras, palavras e versos, se bem fundamentados, é algo incomensurável. O que ficam nos versos, faltam as palavras. Até mesmo o amor é mais bonito escrito, do que vivido. Criamos ou externamos realidades, as quais gritando, falando ou murmurando, jamais conseguiriamos obter tamanha profundidade na consciência do outro.

Breno Massena.

Um mestre que tinha na música e na escrita, duas de suas paixões. Algumas obras de Angenor de Oliveira, O Cartola.

  • “Quem Me Vê Sorrindo” com Carlos Cachaça – álbum Cartola
  • “O Sol Nascerá” com Elton Medeiros – álbum Cartola
  • “Alvorada” com Carlos Cachaça e Herminio Bello de Carvalho- álbum Cartola
  • “Tive Sim” – álbum Cartola
  • “O Mundo É Um Moinho” – álbum “Cartola”
  • “Peito Vazio” com Elton Medeiros – álbum “Cartola”
  • “As Rosas Não Falam” – álbum “Cartola”
  • “Cordas de Aço” – álbum “Cartola”
  • “Autonomia” – álbum Verde Que Te Quero Rosa
  • “Tempos Idos” com Carlos Cachaça – álbum Verde Que Te Quero Rosa
  • Para que abaixo, vocês conheçam um pouco mais sobre este grande sujeito.

    Rosas, Poesias e Cartolas.

    Segue:

    Tributo ao Cartola
    Breno Massena

    Me perdoe Angenor por tamanha heresia
    Não sei se és poeta, ou se já és a poesia
    Tentar lhe definir seria uma injustiça grosseira
    Lhe chamarei então de Homem da estação primeira

    No pai, sua inspiração, que lhe apresentou o tal samba
    Carlos cachaça, um boa praça, lhe fez virar um bamba
    O precursor do carnaval e da boa malandragem
    Não esteve nesse mundo somente de passagem

    A humildade, a malandragem, o samba e a poesia
    Esses são seus verdadeiros bens
    Tenho absoluta certeza de que se as rosas falassem
    Iriam proferir um sonoro e carinhoso parabéns.

    Parabéns por entender a vida e traduzi-la aos mortais
    Por viver nesse moinho que todos nós fazemos parte
    Dos gênios, sem dúvida um dos mais geniais
    Deveríamos chamar de cartola o que chamamos de arte.

    Breno Massena

    ~ ” Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais ” ~

    Trilogia do Poeta. Parte II – “Para que um Poeta falido, se temos um jovem Doutor?”

    ___

    Caríssimo Leitor, antes de qualquer coisa, desejo a todos uma ótima e proveitosa leitura.

    Hoje continuaremos a pensar a respeito do Poeta, indo mais fundo nas suas preocupações e inseguranças, que simultaneamente se transformam em inspiração para uma nova poesia e desespero por somente saber transformar suas realidades no papel e desconhecer a formula para passá-las para seu dia a dia, sua realidade. Daremos ênfase aos dois papéis que mais afligem o protagonista desta história, e que de alguma forma, estão interligados. Pergunto a vocês: o que hoje em dia não se encontra dependente de algum fator alheio ao seu controle?

    Afirmo com absoluta certeza, que nada, nem ninguém, têm o controle absoluto de suas ações e que os fatores externos agem muito mais sobre sua pessoa, do que imagina.

    O Poeta não é diferente dos demais, ele é exatamente igual à maioria, não se considera especial. O fato de escrever belos versos e clarear os fatos para o leitor, não o faz pensar alto. O próprio pensa que não faz mais do que sua obrigação e vontade. Não saberia viver com tantos de pensamentos e idéias encarceradas dentro da sua cabeça. Se tornaria um prisioneiro por manter o seu dom implícito. Estaria fazendo mal a si próprio e a maioria citada anteriormente, no qual, o mesmo faz parte.

    Nosso amigo anda cabisbaixo, mais pensativo do que de costume, para vocês terem uma idéia da gravidade do fato. Aquele que já andava se preocupando e pensando de mais, hoje esta beirando a tristeza absoluta, com uma sequência de pensamentos tortuosos. Estou preocupado, tento fazer contato, mas o mesmo não responde. Parece não querer assunto, ou talvez queira refletir mais um pouco. Deve estar temendo se tornar o prisioneiro que falei anteriormente. Meu único receio é que ele tente fazer disto, a solução para os seus problemas. Veremos, a espera irá durar mais um post. É esperar para ler, e entender.

    Segue abaixo:

    O Poeta Falido.


    O Poeta renasceu

    e viu sua poesia

    mas o mundo esqueceu

    do artista que a escrevia

    _

    Méritos a ninguém

    a arte estava pronta

    sofrendo pelo desdém

    o poeta se amedronta

    _

    Jura que nunca mais

    fará qualquer composição

    suas idéias seriam mortas

    sua mente  seria o caixão

    _

    Da sociedade esquecido

    não possuía mais valor

    “Para que um poeta falido

    se temos um jovem Doutor ?”

    _

    A arte estava pronta

    ninguém lembra quem a fez

    bem vindos ao mundo real

    onde o poeta não tem vez.

    Breno Massena.

    ” Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais’

    Caros amigos , recomendo com muita satisfação o blog : www.blogdojm.wordpress.com

    Além de um grande amigo, um grande talento.

    Leiam !

    Vale muito a pena, eu garanto.

    Até o próximo post !

    Obrigado pela leitura.