Queria sumir de tudo. Viver do nada. Sonhar no dia. Reletir de Madrugada. Amar aos poucos. Ser eu por inteiro. Entender os loucos.Mudar meu roteiro. Alterando os personagens.Desfazendo o mito. Refazendo minhas viagens.Deixar tudo por escrito. Para um dia você ler. Notar real valor. Acompanhar o meu nascer. Renovar o meu amor. Representar quando preciso.Destrair sua visão. Criar um pouco de juizo. Mudar de opinião. Completando o que faltou. Esvaziando a minha mente. Rever quem me animou. Sempre olhar em frente. Recordar a juventude. Sendo fonte de inspiração. Calcular a amplitude e o alcance do coração. Relembrar todos os versos. Escrever alguns milhões. Conviver com os controversos. Tirando belas lições. Observar o vento. Dormir sem preocupações. Criar o meu rebento. Ter mais alucinações. Todas verbais. Não parar nenhum instante. Juntar minhas vogais. Escolher as consoantes.  Não pense. Apenas leia. No sense. Quem te nomeia?

Poeta de Alma     –     Alma de Poeta

Bombardeio semântico incorruptível, desregrando os meus conceitos. Eu nasci pra isso. Existência resumida em linhas. Objetivando poesia. Pensando em palavras.

Elas me fizeram melhorar. O horizonte se abriu outra vez para mim.

Nele, vou escrever meu nome.

Talvez, algumas outras palavras escreverei.

Não sou de ferro.

Sou de Poesia.

Testemunha

Em um corredor escuro, estreito a minha vida
Fecho os olhos para ver o que não acontecerá
Cambaleante a caminhar, levo a idéia combalida
De que ao abrir os olhos, um feixe de luz surgirá

A luz que incidia, em outros tempos, no horizonte
Se perdeu no infinito, procurando o seu final
Explicação dada, com a confirmação real da fonte
O meu peito é testemunha,sendo figura principal

Breno Massena

“Necessário, somente o necessário e o extraordinário é demais”

Eu voltei.

Divulguem, comentem, participem, leiam e sejam felizes.

Até mais!

Anúncios